quinta-feira, 8 de junho de 2017

As declarações de Netanyahu "são uma mensagem ao governo americano de Donald Trump e à comunidade internacional para dizer que Israel está pronto para alcançar uma paz baseada no direito e em resoluções internacionais" - QUE ESTEJAM EM HARMONIA COM A EXISTÊNCIA E SEGURANÇA INCONDICIONAL DE ISRAEL - PARABÉNS NETANYAHU.

As declarações de Netanyahu "são uma mensagem ao governo americano de Donald Trump e à comunidade internacional para dizer que Israel está pronto para alcançar uma paz baseada no direito e em resoluções internacionais" - QUE ESTEJAM EM HARMONIA COM A EXISTÊNCIA E SEGURANÇA INCONDICIONAL DE ISRAEL - PARABÉNS NETANYAHU.


Israel "não está pronto para a paz" se quer controlar a Cisjordânia, afirmam palestinos

 
    
 postado em 06/06/2017 11:07
 AFP /Agence France-Presse
A presidência palestina considerou nesta terça-feira que Israel "não está pronto para a paz", depois que o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu disse querer controlar a segurança na Cisjordânia ocupada, mesmo em caso de acordo de paz com os palestinos.
As declarações de Netanyahu "são uma mensagem ao governo americano de Donald Trump e à comunidade internacional para dizer que Israel não está pronto para alcançar uma paz baseada no direito e em resoluções internacionais", declarou em um comunicado o porta-voz da presidência palestina, Nabil Abu Rudeina.
"Rejeitamos essas declarações que procuram criar um clima que torna a situação ainda mais complicada e que não apoiam os esforços para alcançar uma solução", acrescentou.
Na segunda-feira à noite, durante uma cerimônia pelo 50º aniversário do conflito árabe-israelense de junho de 1967, Netanyahu afirmou que "em qualquer acordo (de paz), e na ausência de acordo", Israel deve "preservar a controle da segurança em todo o território a oeste do Jordão", ou seja, na Cisjordânia.
"Netanyahu quer erradicar os esforços americanos e internacionais para retomar as negociações entre palestinos e israelenses", acusou o chanceler palestino em um comunicado.
O presidente americano Donald Trump declarou a sua intenção de reviver o processo de paz, paralisado desde 2014.
Recentemente, o presidente palestino Mahmud Abbas reuniu-se com Trump em Belém.
Desde 1967, Israel ocupa tanto a Cisjordânia como Jerusalém Oriental.
Ele retirou seus colonos e soldados da Faixa de Gaza, mas o seu exército, distribuído ao longo de toda a fronteira, impõe um bloqueio terrestre, marítimo e aéreo sobre o enclave costeiro.

http://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2017/06/06/interna_internacional,874449/israel-nao-esta-pronto-para-a-paz-se-quer-controlar-a-cisjordania-a.shtml