domingo, 25 de maio de 2014

יהוה IEHOUAH יהוה · Por favor Acesse o Link para Ver o que é Cotidiano Judeu: http://www.ruajudaica.com/

 Clique aqui para baixar a versão integral da Rua Judaica 





  Edição 358    Diretor / Editor: Osias Wurman Sexta, 23 de maio de 2014



 
MANCHETES DE ÚLTIMA HORA 


http://cdn.timesofisrael.com/uploads/2014/05/F140522OZFF008-635x357.jpg

"Queremos um Estado palestino desmilitarizado que reconheça o Estado Judeu. Como você consegue isto se você não pode obtê-lo por meio de negociações?", perguntou o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu em uma entrevista à Jeffrey Goldberg da Bloomberg, e publicada na quinta-feira (22/05). "É verdade que a idéia de tomar medidas unilaterais está ganhando terreno em Israel, do centro-esquerda ao centro-direita. Muitos israelenses estão se perguntando se existem medidas unilaterais que poderiam, teoricamente, fazer sentido." O endereço desta referência é que Israel comece a testar a retirada unilateral da Cisjordânia, o que forçaria os palestinos a assumir as responsabilidades fundamentais nas áreas de segurança e administração que Israel controla atualmente. Com um planejamento cuidadoso, um plano deste tipo poderia levar a uma nação palestina independente, em termos de Israel, e sem negociações, embora as tensões entre os vizinhos provavelmente permaneceriam elevadas e Netanyahu ressaltou as importantes preocupações com a segurança de Israel, que este plano não aborda. "As pessoas também reconhecem que a retirada unilateral de Gaza não melhorou a situação ou trouxe a paz - criando o Hamastão, da qual milhares de foguetes foram disparados contra nossas cidades."



La línea aérea israelí develó el avión papal

Um Boeing 777 levará o Papa Francisco e comitiva para Roma após o final da sua próxima visita à Terra Santa. O avião da El Al carregando o logotipo oficial do Vaticano foi mostrado numa cerimônia no aeroporto Ben Gurion. Participaram do evento o embaixador do Vaticano em Israel, Dom Giuseppe Lazzarotto, e o CEO da El Al David Maimon. O voo LY514 deixará Israel na próxima quinta-feira, 26 de maio, à noite. O Papa fará uma visita de três dias à Terra Santa , onde se reunirá com refugiados sírios e palestinos, líderes israelenses, palestinos e jordanianos, e com os principais rabinos de Israel, e com o Mufti de Jerusalém. O motivo principal para a visita é comemorar o 50 º aniversário do encontro entre o Papa Paulo VI e o líder espiritual dos cristãos ortodoxos em todo o mundo.





http://i.dailymail.co.uk/i/pix/2012/07/05/article-2168860-13ED563D000005DC-405_636x384.jpg

A esposa do milionário brasileiro-israelense Guma Aguiar, desaparecido ao largo da costa da Flórida, em 2012, ingressou numa batalha legal com sua mãe e irmã para amealhar a fortuna de milhões de dólares que ele deixou. A esposa de Aguiar, Jamie, assim como a mãe e irmã do milionário, Ellen e Angelika, estão reivindicando a herança do suposto falecido, que foi visto, pela última vez, em 19 de junho de 2012 pilotando um barco num dia de mar superagitado. O iate de Aguiar, que tinha 35 anos quando desapareceu , foi encontrado no dia seguinte, sem ninguém a bordo, e com o motor ligado, após encalhar na praia de Fort Lauderdale, ao norte de Miami. A fortuna estimada de Aguiar é de cem milhões de dólares, que ele acumulou com um negócio de gás natural e petróleo, do qual foi co-fundador. Jamie afirmou na petição que seu marido deve ser considerado morto, e que em seu último testamento ele deixou dois terços de sua herança para ela e seus quatro filhos. Mas a mãe de Aguiar disse que tinha direitos adquiridos, que seu filho estava desquitado da mulher, e que ele era uma "alma generosa que pagou os salários que eu devia, deu-me os benefícios de um seguro saúde e um cartão de crédito Platinum que eu poderia usar, sempre que eu queria." Quase dois anos após sua morte, as circunstâncias deste incidente permanecem um mistério, havendo quem diga que Aguiar estava endividado e à beira da falência.



http://cdn.timesofisrael.com/uploads/2013/01/F110330FFSG10.jpg

O valor dos ativos geridos pelos hedge funds israelenses cresceu em um terço, desde 2012. Segundo dados de pesquisa coletados pelo administrador do fundo Tzur, os fundos de hedge israelenses atingiram US$ 2,7 bilhões em ativos, em 2014. Trinta novos fundos de hedge foram abertos em 2013, de acordo com um comunicado à imprensa. O Índice de Hedge Funds israelenses Capital Management Tzur também registrou que os fundos de hedge israelenses tiveram melhor desempenho do que a média mundial de fundos de hedge, em 2012 e 2013, quando os fundos de hedge israelense deram retornos de 13 e 17 por cento, respectivamente. A maioria dos fundos tem o total de seus ativos investidos fora de Israel. "Ao considerar o desempenho impressionante dos fundos de hedge israelenses, nos últimos anos, não é nenhuma surpresa que estamos testemunhando um crescimento significativo nos ativos sob gestão, e no número de fundos com base em Israel", disse o CEO Tzur Yitz Raab em comunicado à imprensa. "Esta é uma tendência que demonstra aumento da confiança nos gestores de Israel, e é um bom augúrio para o futuro."



La Fundación de Elie Wiesel homenajeó al actor y filántropo George Clooney

A Fundação para a Humanidade do Premio Nobel Elie Wiesel condecorou o ator e filantropo George Clooney e entregou-lhe a Art Award for Humanity, num jantar na terça-feira passada. Durante o evento Clooney, de 53 anos, falou de forma humorada sobre seu futuro casamento com a advogada londrina Amal Alamuddin. Wiesel, sobrevivente do Holocausto, e Clooney se conheceram quando trabalhavam para enviar forças de paz para Darfur, no Conselho de Segurança das Nações Unidas. No domingo, foi inaugurado um centro de educação sobre o Holocausto, na cidade onde Wiesel viveu antes da guerra, em Sighet na Romênia.










Osias Wurman
Jornalista






DIA 28 DE MAIO É O DIA DE JERUSALÉM – YOM YERUSHALAIM

JERUSALÉM PERTENCE A TODOS 
Osias Wurman

A todos que praticam a fé monoteísta, sejam judeus, católicos ou muçulmanos, a cidade de Jerusalém, lembrada e cantada como sagrada, eterna, de ouro e da paz, é um dos maiores e mais antigos tesouros da religiosidade, tendo sido palco dos mais importantes eventos para estas religiões.

Para os judeus, a capital do reino de David, que conquistou Jerusalém há mais de 3000 anos, abriga as ruínas do templo do Rei Salomão, considerado o local mais sagrado do judaísmo. Segundo a tradição judaica, foi deste local que o Criador coletou o pó da terra para fazer surgir o primeiro ser humano a sua semelhança: Adão. Foi, também, onde seu filho Caim matou por inveja seu irmão Abel. O local também foi palco de uma das mais importantes passagens bíblicas que relata a lealdade do patriarca Abraão à Deus, quando levou seu filho Isaac para sacrificá-lo em louvor ao Senhor. Para os muçulmanos, a Mesquita de Omar, construída sob o espaço outrora ocupado pelo Grande Templo, representa o terceiro mais sagrado local depois de Meca e Medina. Conta a tradição muçulmana que o profeta Maomé teria subido deste local para os céus. Para a fé cristã, a Igreja do Santo Sepulcro marca o local onde Jesus foi crucificado e ressuscitou.

Na população atual da cidade encontramos uma acentuada predominância  judaica com mais de 2/3 dos moradores. Ao longo de três milênios, os judeus foram o único povo a considerar esta cidade como sua capital política e espiritual. Mesmo durante os 2000 anos de exílio judaico, sempre existiram grupos de seguidores das leis mosaicas morando em Jerusalém. Para comprovar textualmente a importância de Jerusalém para os judeus, comparada com as coirmãs monoteístas, basta contar as 657 vezes em que é citada no Velho Testamento, 154 vezes no Novo Testamento e sem menção no Corão. Independentemente à notória prevalência judaica nas raízes desta sagrada cidade, cabe às três religiões o mesmo direito de livre acesso e de autoadministração de seus locais sagrados, seguindo rigorosamente os ditames de suas crenças.

É para garantir este estado de liberdade de acesso e segurança total, que o governo de Israel insiste em manter a soberania política sobre a totalidade da região. Vale lembrar que até Julho de l967, quando a Cidade Velha foi liberada do domínio jordaniano, durante a Guerra dos Seis Dias, os locais sagrados para os judeus como o Muro das Lamentações, estavam em péssimas condições de manutenção e era proibido o acesso de israelenses a estes locais. Até sanitários existiam defronte às ruínas do Grande Templo de Salomão.

Um episódio histórico serve para ilustrar, com clareza, a filosofia dos governantes de Israel com relação às outras religiões da região. Durante os ferozes combates na Velha Jerusalém, em l967, o comandante-em-chefe das tropas israelenses general Moshe Dayan, considerado o maior herói militar do Estado de Israel, ao chegar ao Muro das Lamentações com suas tropas, avistou uma bandeira com a Estrela de David tremulando no topo da Mesquita de Omar. Imediatamente chamou seu ajudante de ordens e ordenou a retirada sumária da bandeira de Israel, alegando tratar-se de um desrespeito aos muçulmanos. Esta vem sendo a postura da unanimidade dos governantes israelenses que lhe sucederam nestes anos que se passaram. Uma predominância do respeito a todas as religiões.

Todos os locais sagrados estão situados na Cidade Velha de Jerusalém que, atualmente, representa menos de 1% da área total da cidade. A proposta de dividir ou internacionalizar a cidade é, portanto, absolutamente desnecessária e inaceitável para Israel que ali mantêm sua capital há 66 anos, e que vem garantindo o livre acesso e a ordem interna.

A importância desta cidade para o povo judeu já era cantada nos Salmos que dizem: “Se eu te esquecer, Jerusalém, que minha mão direita esqueça sua perícia”. Indiscutivelmente a Cidade Velha de Jerusalém, pela sua história de fé e devoção – conta hoje com mais de 2 bilhões de seguidores em todo mundo – pertence a todos os povos amantes da paz e deve permanecer, eternamente, sob a custódia dos que sabem respeitá-la : os descendentes da religião do Rei David.

(*) (ARTIGO EDITADO DO PUBLICADO EM O GLOBO – PAG. OPINIÃO – ANO 2000 – POR OSIAS WURMAN)



“Se eu te esquecer, Jerusalém, que minha mão direita esqueça sua perícia”
(Salmos do rei David)





 


ONIBUS EM WASHINGTON EXIBEM PROPAGANDA ANTIRACISTA


Pamela Geller, uma ativista política conhecida principalmente por sua crítica ao Islã, e presidente da American Freedom Defense Initiative (AFDI), aprovou a mais recente campanha publicitária da AFDI, que traz cartazes em vinte metrobuses de Washington DC brandindo o rosto de Adolf Hitler acompanhado por uma mensagem: Pare o racismo. Fim a toda ajuda aos países islâmicos. 

O anúncio controverso foi pago pela AFDI como uma resposta direta aos anúncios anti-Israel que corriam em vinte metrobuses da área, no mês passado, ordenado pelo grupo com sede em Illinois, os Muçulmanos Americanos Para a Palestina.

"Nossos anúncios são em resposta aos anúncios que odeiam judeus... desencadeados em Washington, no mês passado", afirmou a AFDI através do seu site oficial.

Pro-Israel Group Features Hitler on New Bus Ads

"Minha intenção é saltar sobre uma mídia que não é imparcial, que está avançando a propaganda contra o Estado judeu", acrescentou Geller.

O novo anúncio da ADFI estreou na semana passada. Ele retrata o infame ditador nazista em reunião com Haj Amin al-Husseini, o nacionalista palestino, que se tornou aliado de Hitler antes da Segunda Guerra Mundial começar.

Husseini era conhecido por promover propaganda para os nazistas e apoiar o plano de Hitler para exterminar o povo judeu.

Esta não é a primeira vez que os ônibus veiculam anúncios para a ADFI. Em 2012, eles trouxeram uma mensagem em quatro estações de metrô que dizia: "Em qualquer guerra entre o homem civilizado e o selvagem, apoie o homem civilizado. Apoie Israel. Derrote a Jihad".

Pamela Geller é conhecida por ser uma figura controversa, com a rotulação da ADFI como um grupo de ódio anti-muçulmano pelo Southern Poverty Law Center, uma organização que monitora a atividade extremista.

Independentemente disso, os moradores de Washington DC, teriam que estar preparados para enfrentar algum material ofensivo ao longo dos meses de maio e junho. Enquanto Geller diz que recebeu centenas de e-mails de apoio ao anúncio, muitos motoristas dos ônibus já afirmaram que o anúncio é "ultrajante" e "racista".














 
ALARMANTE : 75% DOS JUDEUS ENTREVISTADOS PRETENDE DEIXAR A FRANÇA


Quase 75 % dos milhares de judeus franceses que participaram de uma pesquisa recente disseram que estão emigrando. Os resultados da pesquisa divulgados pela organização Siona de judeus sefaraditas franceses, com sede em Paris, abrangeu 3.833 participantes da comunidade judaica da França. Dos 74,2 % dos inquiridos que disseram que estão pensando em sair, 29,9 % citaram o anti-semitismo como motivo principal. Outros 24,4 % citaram o seu desejo de "preservar seu judaísmo", enquanto 12,4 % disseram que foram atraídos por outros países. "Considerações econômicas" foram citadas por 7,5 % dos inquiridos. 

Print Edition

No total, 95,2 % de todos os entrevistados na pesquisa online, conduzida pela Siona de 17 abril a 16 maio, disseram que viram o anti-semitismo como "muito preocupante" ou "preocupante". Pouco mais da metade, ou 57,5 % dos entrevistados, disseram que "os judeus não têm futuro na França", enquanto 30,6 % disseram que há um futuro para os judeus lá. Questionados sobre se eles tinham experimentado pessoalmente incidentes anti-semitas nos últimos dois anos, 14,5 % respondeu afirmativamente, mas desses, apenas 21,2 % apresentaram uma queixa junto a polícia. Uma pesquisa semelhante, em 2012, mostrou que um quarto dos judeus que sofreram incidentes anti-semitas tinham apresentando uma queixa, segundo a instituição Siona observou em um comunicado, acrescentando: "Os resultados são motivo de preocupação." 93% disse que o Estado francês não tinha meios eficientes para combater a "propaganda excludente de pró-palestinos islâmicos", enquanto 93,4 % disseram que os meios de comunicação franceses são parcialmente responsáveis ??pelo problema do anti-semitismo na França. Cerca de três quartos disseram que as instituições judaicas francesas eram impotentes para parar o anti-semitismo. 












 

PAPA FRANCISCO VAI HOMENAGEAR SHIMON PERES EM SUA VISITA A ISRAEL 


O Papa Francisco vai chegar a Israel no domingo para uma visita de "paz, fé e tolerância", onde ele disse que irá prestar homenagem ao presidente Shimon Peres pois seu mandato chegando ao fim.

Ao chegar no domingo, o papa viajará a Belém para realizar uma missa. A cidade está se preparando para a visita com a limpeza das ruas e remoção de obstáculos, e se enfeitando com bandeiras da Cidade do Vaticano, juntamente com bandeiras palestinas. Os serviços de segurança da Autoridade Palestina também estão aumentando a segurança para a visita.

Após a visita a Belém, uma recepção será realizada em honra do Papa em Jerusalém. No domingo à noite, ele se reunirá com representantes de comunidades cristãs na Igreja do Santo Sepulcro, em Jerusalém, e mais tarde com o patriarca latino.





Na segunda-feira, o Papa Francisco vai percorrer o Monte do Templo e reunir-se com o Grande Mufti de Jerusalém Muhammad Ahmad Hussein. Ele, então, visitará o Monte Herzl, colocará uma coroa de flores no túmulo de Theodor Herzl, e visitará o memorial e museu do Holocausto Yad Vashem.

Shimon Peres, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, o presidente do Yad Vashem, Avner Shalev, e o presidente do Conselho do Yad Vashem, Rabino Israel Meir Lau irão se juntar ao Papa em sua visita ao Museu do Holocausto. Mais tarde, o Papa visitará Heichal Shlomo, onde se reunirá com o chefe de rabinos de Israel.

O principal evento da visita do Papa a Israel será uma recepção na residência do presidente, onde será saudado por crianças judias, cristãs e muçulmanas. Após a recepção, o Papa se reunirá com Peres e depois se juntará a 500 crianças no jardim da residência do presidente para uma oração e uma canção especial dedicada à unidade.
Após o culto de oração, o Papa se reunirá com Netanyahu na Notre Dame de Jerusalém, visitará um pequeno mosteiro na Galiléia e participará de um evento na Igreja de Todas as Nações, no Monte das Oliveiras.

Papa Francisco concluirá sua visita com uma missa na sala onde se acredita ter ocorrido a Última Ceia, no Monte Sião, em Jerusalém.













 
Mohamed Habib no Hillel Rio


Israelenses e palestinos na construção da paz – Visão de um egípcio-Paz, Shalom, Salam

Graduado em Engenharia Agronômica, mestre em Controle Biologico pela Universidade de Alexandria (Egito) e doutor em Ciências Biológicas pela Unicamp, Mohamed Habib aceitou o convite do Hillel Rio de Janeiro para falar sobre os recursos naturais presentes na região do Oriente Médio.






Utilizando os direitos humanos como forte referência intelectual, Mohamed Habib defendeu que todos os seres humanos merecem ter suas necessidades básicas respeitadas. Independente de sua cultura, local de nascença, ou religião, todos devem ter uma infância construída com estabilidade familiar, alegria, e capacidade de desenvolver as individualidades de cada ser. Ao retirarmos os carimbos e as identificações religiosas, étnicas, e até mesmo nacionais, é possível que entendamos o conflito como uma disputa entre humanos e humanos.





O ultimo tópico abordado por Habib foi a necessidade de nos responsabilizarmos pelo que acontece a nossa volta. Contando uma piada egípcia, esse questionamento partiu de suas proprias raízes e atinge não apenas o Oriente Médio mas também a nossa realidade no Brasil. Segundo Habib, a sociedade civil deve se manifestar no papel de construir um futuro de paz em todo o mundo. (Fonte: Hillel-Rio)






Copa do Mundo em Debate 

APOIO
 http://www.owurman.com/images/noticias_da_rua_judaica_31_03_14_clip_image004.jpg




Banner_hillel_25_04_14.jpg





 


ARQUIVO : Este filme é absolutamente precioso 


Apenas quatro aviões era tudo que Israel tinha quando a Guerra da Independência (maio de 1948) começou, e foram contrabandeados da Tchecoslováquia. 

Eram os alemães " Messerschmitt Bf-109." Eles foram montados durante a noite, em Tel Aviv, e nunca foram testados para voo. 

Este é um pequeno vídeo sobre seus heroicos pilotos.



http://vimeo.com/54400569   
Contrariamente à percepção popular (pelas pessoas que não conhecem a história), a assistência dos Estados Unidos a Israel durante a Guerra da Independência foi bem diferente. Os americanos não foram autorizados a juntar-se à luta e um embargo tinha sido estabelecido e executado pelo FBI. 

Ao mesmo tempo, os exércitos árabes foram muito bem municiados pelos mesmos países que mantiveram embargo de armas contra Israel e, claro, teve grande vantagem em mão de obra.












 


CHINA E ISRAEL ASSINAM ACORDOS DE PESQUISA EM NANOTECNOLOGIA


O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu se reuniu com a vice-premier chinês Liu Yandong em seu escritório em Jerusalém.

"A China é o maior parceiro comercial de Israel na Ásia e vai rapidamente se tornando, talvez, o maior parceiro comercial de Israel, do período, à medida que avançamos para o futuro", disse Netanyahu. "Nós vemos o grande sucesso da China. Admiramos a China e achamos que há coisas complementares que Israel traz para esta relação."

Liu Yandong deu a Netanyahu um artigo de um jornal chinês moldado desde o dia da fundação de Israel em 1948.





"Nossos dois povos estão enraizados em uma tradição de amizade", disse ele. "O povo judeu e o povo chinês são povos de grande sabedoria. Nós criamos nossas culturas esplêndidas que se estendem por milhares de anos de história. E nós fizemos enormes contribuições para a civilização humana.

"Estou aqui para aprender com as melhores práticas de Israel em ciência, tecnologia e inovação. E esta é também uma viagem para promover a cooperação, que é verdadeiramente a nossa esperança de que seremos capazes de trazer para todos os campos, novos patamares e, certamente, é de fato uma viagem de amizade, e eu estou aqui para melhorar a amizade entre nossos povos."

Enquanto isso, duas universidades de topo de Israel e China anunciaram que estão começando um projeto de pesquisa de 300 milhões de dólares focado em nanotecnologias.

A Universidade de Tel Aviv e Tsinghua University de Pequim disseram que iriam trocar alunos de pós-graduação e professores para trabalhar em um centro de pesquisa conjunta com base nas duas instituições.

A cooperação inicialmente se concentrará em nanotecnologia, especialmente com aplicações médicas e de ótica, mas pode ser mais tarde expandida para outras áreas, incluindo matérias-primas, tratamento de água e as questões ambientais, as autoridades de ambos os lados disseram em uma coletiva de imprensa na universidade israelense.





O Presidente da Universidade de Tel Aviv, Professor Joseph Klafter, disse que o financiamento seria conseguido a partir de fontes privadas e governamentais, e que quase um terço do dinheiro já havia sido levantado para o projeto.

"É um acordo sem precedentes em tamanho e escopo", disse Klafter. "Foi construído de baixo para cima, porque começou com os nossos cientistas conhecendo e se apaixonando pelo outro."

Chen Jining, presidente da Tsinghua, disse que parte do financiamento será usado para desenhar protótipos, ligando acadêmicos com o mundo dos negócios e comercializando os produtos de pesquisa.

"Temos parcerias com muitas outras universidades ao redor do mundo, mas esta é a primeira que é tão profunda e inovadora", disse.

Israel ainda é um pequeno parceiro para o gigante chinês, mas o comércio entre os dois países tem crescido, atingindo 8,4 bilhões de dólares americanos no ano passado, em comparação com US$ 6,7 bilhões em 2010, de acordo com o Escritório Central de Estatísticas de Israel. Pequim busca acesso a novas tecnologias em áreas onde Israel é considerado um líder, incluindo a agricultura, a dessalinização da água e da medicina, enquanto Israel está ansioso para ganhar uma posição no enorme mercado chinês.





"É uma parceria ideal, porque as duas economias não competem uma com a outra", disse Amir Lati, funcionário do departamento Nordeste da Ásia do Ministério das Relações Exteriores em Jerusalém. "Um centra-se na alta tecnologia e o outro na fabricação e enormes projetos de infra-estrutura."

No ano passado, o Technion de Haifa e a Universidade de Shantou, localizada na província de Guangdong, no sul, assinaram um acordo de cooperação de cerca de US$ 150 milhões. As empresas chinesas também disputavam para adquirir participações em empresas locais, incluindo uma seguradora de topo e um gigante de laticínios, e manifestaram interesse na proposta de construção de um projeto de trem que liga o Mediterrâneo ao Mar Vermelho.

Yoram Evron, pesquisador da China e Oriente Médio, que tem laços com a Universidade de Haifa, disse que a China está tentando aumentar a sua influência na região, especialmente para proteger as importações de energia necessárias para alimentar a sua economia em crescimento.






 








 


JUDEUS VISITAM NA TUNÍSIA A MAIS ANTIGA SINAGOGA DA ÁFRICA


Mais de 2.500 judeus na semana passada fizeram a peregrinação à antiga sinagoga da Tunísia, em Djerba, uma ilha minúscula que é o lar da mais antiga sinagoga da África e uma pequena comunidade judaica.

O ministro do Interior da Tunísia Muhammed Ali Laroui disse que a peregrinação à Sinagoga El Ghriba "superou todas as expectativas" e que a Tunísia espera que o número de participantes duplique para 5.000 a 6.000 no próximo ano, relatou o site Tunisien.tn.



A peregrinação de três dias, que foi promovida por Rene Trabelsi, um tunisiano-judeu que foi considerado “ministro do turismo” do país, em janeiro passado. A Tunísia, com suas controvérsias, está tentando restaurar a sua imagem pró-ocidental moderada após a "primavera árabe". O Ministro do Turismo Amel Karboul e o vice-ministro do Interior para a Segurança, Ridha Sfar, foram censurados em abril por islâmicos e outros, no parlamento tunisiano, por permitir turistas judeus com passaportes israelenses.

Além disso, a Norwegian Cruise Line, disse que não iria mais parar na Tunísia depois do país recusar a permissão para cidadãos israelenses desembarcarem.







 










 
FILMETE MOSTRA OS RISCOS DE UM IRÃ NUCLEAR


O Ministério da Diáspora de Israel lançou um filme de dois minutos de animação no YouTube, mapeando o que ele diz serem "armadilhas" do acordo nuclear que as potências ocidentais estão atualmente negociando com o Irã sobre o programa nuclear da República Islâmica.



https://www.youtube.com/watch?v=NkwQH9XQpBs


O filme foi enviado para centenas de líderes e organizações judaicas, num esforço para aumentar a conscientização sobre o perigo que o Irã continuará a representar, mesmo com um acordo em vigor, segundo o ministério. 

Numa carta que acompanha o filme, o ministro de Assuntos da Diáspora Naftali Bennett escreveu: "Agora é a hora de falar e tomar medidas para parar um mau negócio, antes que seja assinado, e que irá permitir que o Irã obtenha uma arma nuclear."






brasil_israel_260514.jpg




 
Corte nos EUA declara clérigo islâmico culpado de terrorismo


Uma corte em Nova York (EUA) declarou na segunda-feira (19) culpado de apoiar o terrorismo o clérigo islâmico radical Abu Hamza al-Masri.


O clérigo islâmico radical Abu Hamza al-Masri foi considerado culpado por apoiar o terrorismo por uma corte em Nova York (EUA)


Al-Masri, 56, foi acusado de apoiar organizações terroristas como a Al Qaeda, ajudando os sequestradores de 16 turistas no Iêmen, em 1998, e na tentativa de construção de um campo de treinamento terrorista no Estado do Oregon.





Al-Masri, que enfrentou julgamento com o nome de Mustafa Kamel Mustafa, ficou conhecido após proferir discursos incendiários na mesquita de Finsbury Park, em Londres. Em um deles, o clérigo elogiou os terroristas do 11 de Setembro.

O islâmico foi extraditado para os EUA em 2012, após passar sete anos preso no Reino Unido.







 





Por Daniela Kresch
Jornalista
direto de Israel

FHC CONQUISTA O PÚBLICO AO RECEBER DIPLOMA NA UNIVERSIDADE DE TEL AVIV

TEL AVIV – Na semana passada, o ex-presidente do Brasil Fernando Henrique Cardoso recebeu o título de doutor honoris causa em Filosofia pela Universidade de Tel Aviv numa cerimônia simpática, um tanto longa, mas repleta de entretenimento (teve até apresentação de mágica no final). Apesar de não ter sido o único a receber o título (foram agraciados, entre outros, o australiano Paul Zimmet, diretor do Instituto Internacional do Diabetes, o linguista e matemático canadense David Sankoff e o empresário israelense Gil Shwed, considerado o inventor do “firewall”), FHC foi, com certeza, a estrela da noite. 

Foi ele quem fez o discurso de agradecimento em nome de todos os agraciados, conquistando o público com sua simpatia ao confundir as páginas da preleção, improvisando e fugindo do texto em alguns momentos. Ao apresenta-lo ao público, o ex-diretor do Banco Central de Israel, Yaakov Frenkel, presidente do Conselho Diretor da universidade, ensaiou até mesmo palavras em português para saudar o ex-presidente:





-- Eu estou feliz em receber meu amigo pessoal Fernando Henrique Cardoso do Brasil no Estado de Israel. O presidente Cardoso é responsável pela transformação do Brasil em um país democrático, moderno e estável economicamente. É um homem sensacional – afirmou Frenkel, em português. 

FHC foi o primeiro líder sul-americano a receber o título de doutor honoris causa da Universidade de Tel Aviv. Entre os homenageados no passado estão, por exemplo, a chanceler alemã Angela Merkel, os ex-presidentes americano Jimmy Carter e Bill Clinton, a ex-líder britânica Margareth Thatcher, o jurista americano Alan Dershowitz, o Prêmio Nobel da Paz Elie Wiesel e o cineasta italiano Franco Zefirelli. 

Em discurso diante de nomes importantes da intelectualidade israelense, o ex-presidente explicou o quanto admira o Estado de Israel e suas realizações. Afirmou que Israel serviu de exemplo para o Plano Real e lembrou a importância da comunidade judaica na cultura e na política do Brasil e na América Latina. Ele lembrou nomes de judeus que marcaram a vida do Brasil, como a escritora Clarice Lispector e o físico José Goldemberg. Fernando Henrique enfatizou a participação da comunidade judaica na redemocratização do país citando o ato inter-religioso em protesto contra a morte do jornalista Vladimir Herzog, em frente à Catedral de São Paulo, que, segundo ele, foi um momento decisivo na restauração da democracia e da ordem no país.





-- Eu estava lá e não posso esquecer como um arcebispo e um rabino protestavam juntos quando poucos ousavam falar contra a ditadura. Somos imensamente gratos à contribuição do povo judeu na restauração da democracia no Brasil – lembrou o ex-presidente.   

Sob aplausos efusivos, Fernando Henrique aproveitou o discurso para pedir que Israel se empenhe em assinar um acordo de paz com os palestinos. Ele disse ter respeito e admiração pelo povo judeu e pelo sucesso da criação do Estado de Israel. Mas que a questão dos palestinos continua não resolvida. 

-- Por favor, me desculpem se sentirem que abuso sua hospitalidade ao dizer que paz para Israel será o cumprimento final da promessa judaica. Como um cientista político que deseja o melhor para Israel, devo dizer: o tempo passa, o mundo está mudando, o Oriente Médio está mudando, o status quo é insustentável. Façam a paz com os palestinos, ajudem-nos a construir um Estado democrático e pluralístico.
Description: https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif





 

JUDEUS DE ANTAKYA NA TURQUIA FUGIRAM DA GUERRA 


A outrora próspera comunidade judaica de Antakya, Turquia, já diminuiu para apenas 18 membros, muitos moradores fugiram para escapar da agitação e da violência na área, informou a Al Jazeera.

"Quando eu era jovem, o Beit Knesset (sinagoga) estava sempre cheia. Mas hoje ... todo mundo se foi ", disse Harun Cemal, um fornecedor têxtil aposentado.

Cemal agora é o zelador da sinagoga de Antakya, que tem 250 anos de existência. Nos fins de semana ele dá passeios no local histórico, detalhando a jornada da comunidade e exibindo seus sete rolos da Torá de 500 anos salvaguardados na propriedade. Nos dias em que não há visitantes estrangeiros, a sinagoga permanece vazia.

"Tenho medo de que quando eu morrer, não haja ninguém para me enterrar", disse Harun a Al Jazeera.





Setenta anos atrás, os judeus de Antakya eram 350 pessoas, de acordo com o relatório. A presença judaica da cidade é agora constituída por um punhado de parentes e amigos que ficaram para trás, enquanto seus entes queridos se foram durante as ondas de turbulência política e econômica. Moradores da área continuam a buscar refúgio em outros lugares com a guerra civil síria de três anos.

Os residentes judeus de Antakya, capital da província de Hatay da Turquia, uma vez que prosperaram em seus laços como a grande comunidade judaica da Síria em Aleppo, enviaram seus filhos para a cidade síria para a escola e para realizar negócios através da fronteira turco-síria.

No entanto, após o estabelecimento de Israel moderno, em 1948, praticamente toda a população judaica da Síria foi deslocada, de acordo com a Al Jazeera. Estima-se que 30 mil judeus viviam na Síria, em 1947. Em 1958, esse número caiu para cerca de 15.000. Como a população judaica de Aleppo diminuiu, o suporte para os judeus de Antakya também caiu.



A guerra brutal na Síria, travada há meia hora de distância da cidade, também está afetando a sua população judaica. Cerca de 30.000 sírios estão atualmente em busca de refúgio, de acordo com estimativas da Agência de Refugiados das Nações Unidas (UNHCR). Dada a sua proximidade com a fronteira, Antakya também serve como uma base e porta de entrada para a Síria por grupos armados de oposição.

A agitação política violenta na Turquia, entre grupos de esquerda e de direita, provocou a queda do número de judeus em Antakya no final de 1970, segundo a Al Jazeera. Eles se mudaram para cidades turcas com populações judaicas maiores, como Izmir e Istambul.

"Até 1979, tudo era bom. Tivemos uma vida maravilhosa em Antakya" disse um ex-morador de Antakya, Isaac Somo, a Al Jazeera . Ele e sua família fugiram para Israel, naquele ano.

"Eu amo Antakya muito. Nós não queremos sair, mas nós estávamos com medo de que a violência nos afetaria", sua esposa Jana, disse. "Um dia, houve um tiroteio na universidade e mataram uma mulher. A polícia passou a procurar os homens armados, e um deles correu para minha casa para se esconder. Tínhamos crianças pequenas. Todos os dias havia algo... "

Os judeus que permaneceram em Antakya, por motivos pessoais ou econômicos, estão encontrando dificuldades por ver a sua comunidade desaparecer.

"Isso nos deixa muito triste", disse Cemal. "Eles saem e não voltam."





 

CORREDORES ISRAELENSES SÃO RETIRADOS DE “CORRIDA DA PAZ”


Um grupo de corredores israelenses que participou de uma "Corrida da Paz" foi forçado a abandonar a prova depois de objeções palestinas.

Os seis israelenses foram convidados a abandonar as 900 milhas da "Corrida da Paz", do Líbano para Jerusalém, durante um trecho entre a Judéia e Samária, devido às objeções feitas pelo Comitê Olímpico palestino.



Os corredores israelenses, cuja participação foi organizada pelo Conselho Yesha e as organizações de direitos sobre a terra Regavim, decidiram continuar a sua corrida sem o grupo e concluíram a prova na Universidade de Ariel, na Samária.

"É muito triste que a Autoridade Palestina prefira tentar esconder os 375 mil residentes judeus da Judéia e da Samaria, em vez de apoiar uma verdadeira tentativa de promover a paz e a coexistência," disse Ari Briggs, diretor de Regavim.

"A verdadeira paz é feita entre as pessoas e não ignorando um ao outro", disse ele.






 
JORNALISTA DA BBC FOI PEGO FAZENDO GESTOS NAZISTA EM DOCUMENTÁRIO SOBRE ANTI-SEMITISMO


O jornalista da BBC, Chris Rogers, foi pego fazendo uma saudação nazista e um passo de ganso com o dedo debaixo de seu nariz, imitando Adolf Hitler, durante as filmagens de um documentário sobre o anti-semitismo, o UK’s Daily Mail informou.

O Daily Mail disse que o incidente ocorreu, há dois anos, durante as filmagens do documentário "Euro 2012: Estádios de ódio", sobre os fãs de futebol anti-semitas na Polônia e Ucrânia.

Rogers admitiu que ele demonstrou uma "falta de juízo", disse o jornal, citando o seu pedido de desculpas.




Rogers disse: "Aceito plenamente que parte do meu comportamento, que foi concebido como uma piada, estava profundamente inadequado sobretudo tendo em conta a gravidade do que estávamos filmando. Pedi desculpas e fui fortemente repreendido pela BBC."

O jornal disse que havia uma investigação interna da BBC sobre o incidente e Rogers foi colocado fora do show por um "editor lívido." Um porta-voz da BBC disse que Rogers era freelancer e não foi contratado pelo programa Panorama devido ao incidente.

O porta-voz disse: "Chris Rogers pediu desculpas por seu comportamento. Tomamos a ação apropriada no momento certo- há dois anos, e agora consideramos o assunto como encerrado."
"O programa revelou abuso racial grave e violência nos países de acolhimento antes do Euro 2012", disse o porta-voz. 

Na época, o documentário foi ao ar e Jonathan Ornstein, diretor-executivo do Centro da Comunidade Judaica de Cracóvia, deu uma entrevista para o documentário, e mais tarde disse que tinha sido "explorado", pois foi "completamente desconsiderado o que disse de positivo e foi ao ar apenas comentários e críticas a Polônia".

Esta semana Ornstein disse ao Daily Mail: "Eu acho que é chocante e eu acho que mais uma vez reforça a necessidade de ter um outro olhar sobre todo o programa que foi produzido. Tenho dito, desde o início, que se trata de alguém que estava chegando com uma agenda pré-estabelecida....".





 
JIHADISTA FALA EM VÍDEO QUE DESEJA CONQUISTAR JERUSALÉM - ROMA E ANDALUZIA


Em um vídeo arrepiante descoberto on-line, um jihadista de Kosovo, que está lutando para ISIS, o Estado Islâmico do Iraque e al-Sham, na Síria, desembainha sua espada e apela para a conquista de Jerusalém.

Na segunda-feira passada, o MEMRI, o Instituto de Pesquisa de Mídia do Oriente Médio, disse que o vídeo foi postado no sábado.

O lutador, cercado por um grupo de homens, diz: "Em nome de Allah, bênçãos e orações, sobre o Mensageiro de Deus. Graças sejam dadas a Deus, que nos permitiu viajar em seu caminho e se juntar ao Estado Islâmico no Iraque e na Síria. Louvamos a Deus, que se juntou a nós com os leões de ISIS em toda parte. Nós abençoamos a Deus, que permitiu-nos jurar lealdade ao emir dos crentes, Abu Bakr Al-Qurayshi al-Baghdadi."

An ISIS jihadist brandishing a sword and calling for the conquering of Jerusalem. Photo: MEMRI / Screenshot.https://www.youtube.com/watch?v=3RtppN7iIdk


"Oh nosso Emir, que se comprometeram a obedecer-lhe, que se comprometeram a morrer. Leve-nos para onde quer que Allah ordene a você."

O lutador lembra uma passagem do patriarca judeu Abraão, rompendo com a tradição de adoração de ídolos de seu pai mas, em seguida, passa a aplicá-la aos judeus e cristãos, religiões monoteístas que se originam a partir da revelação de Abraão:

"Para os tiranos e infiéis onde quer que estejam, nós dizemos a mesma coisa que Abraão disse a seu pai: Na verdade, nós queremos dissociar-nos de vocês, e de tudo o que vocês adoram, além de Deus. Nós rejeitamos vocês e, entre nós, a animosidade e o ódio eterno apareceram, até que você acredite em Deus por si só."

"Por Deus, vamos limpar a Península Arábica de vocês. Vamos conquistar Jerusalém de vocês, ó judeus! Vamos conquistar Roma e Andaluzia, se Alá quiser."

Ele grita: "Allah Akbar!"

E a multidão responde: "Allah Akbar!"

Em seguida, o lutador diz: "Estes são os seus passaportes, ó tiranos em todo o mundo. Por Deus, somos muçulmanos! Somos muçulmanos! Somos muçulmanos!"

Eles rasga seu passaporte e joga as páginas no chão.







 

Candidatos a chefiar Comissão Europeia rejeitam adesão da Turquia à UE


Em debate, social-democrata Martin Schulz e conservador Jean-Claude Juncker descartam entrada de país governado por Erdogan no bloco. Rivais mostram posições semelhantes na maioria dos temas.





No último debate televiso antes das eleições europeias, os principais candidatos ao posto de presidente da Comissão Europeia afirmaram que, por ora, a adesão da Turquia à União Europeia (UE) está fora de cogitação. Tanto para o conservador Jean-Claude Juncker como para o social-democrata Martin Schulz, o atual governo impede que Ancara se una ao bloco.

"A administração Erdogan tem se distanciado dramaticamente de todos os valores básicos europeus", afirmou Schulz, no debate televisionado pela emissora pública alemã ARD nesta terça-feira (21/05). "Quem proíbe o Twitter, não entendeu o futuro", concordou o democrata-cristão Juncker. Ambos, entretanto, acreditam que haja uma perspectiva de integração do país em longo prazo.

"A Turquia tem de se tornar mais democrática", alertou Juncker, referindo-se a recentes medidas de censura implementadas pelo primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, e às ações da polícia turca contra manifestantes. "As negociações de adesão à UE devem, entretanto, continuar", ponderou o ex-ministro de Luxemburgo, observando que isso "fará bem ao progresso democrático na Turquia".

A UE e a Turquia negociam uma associação do país ao bloco desde 2005. Desde 1999, a Turquia tem o status de candidato oficial. Atualmente, a União Europeia tem 28 países-membros. No debate, Juncker disse que nenhum outro país entrará no bloco nos próximos cinco anos e que a principal questão agora é "consolidar os fundamentos da União Europeia".




A poucos dias das eleições para o Parlamento Europeu, os dois candidatos demonstraram ter posições semelhantes na maioria das questões. Ambos os líderes enfatizaram que o planejado acordo de livre comércio entre UE e Estados Unidos não deve conduzir a uma diluição das normas europeias, como as que regulam os direitos do consumidor ou a proteção de dados privados. Os dois candidatos concordam que deve haver uma proteção dos "valores europeus".

Ambos os candidatos pediram mais solidariedade em relação aos países do sul da UE – como Itália, Malta e Espanha – por causa dos frequentes dramas de refugiados, que arriscam a vida para chegar ao bloco pelo Mediterrâneo. "Não devemos deixar esses países sozinhos", disse Schulz.

Ele também propôs uma lei europeia de imigração, argumentando que a UE deve desenvolver regulamentos similares aos dos EUA, do Canadá e da Austrália. "Isso não significa que todos possam vir para a UE, mas todos devem ter uma chance", destacou o social-democrata, pedindo cotas de imigração a serem estipuladas por cada país do bloco.

Juncker afirmou que a UE deve "regular a imigração legal" e pediu que a UE amplie a ajuda ao desenvolvimento às nações menos desenvolvidas, como as africanas, para tentar conter o fluxo migratório em direção à Europa.

Pela primeira vez, os principais nomes nas eleições europeias são candidatos ao cargo de presidente da Comissão Europeia. Mas, para assumir o cargo, eles precisam receber a aprovação do novo Parlamento Europeu. A escolha do novo presidente da Comissão, baseada na indicação do Parlamento e a ser tomada pelos líderes nacionais, está prevista para meados de julho, em Estrasburgo.

As votações para o Parlamento Europeu começam nesta quinta-feira, na Holanda e no Reino Unido. Elas terminam no domingo, quando votam os cidadãos na Alemanha e na maioria dos outros países da UE. Cerca de 400 milhões de cidadãos da UE são convocados a eleger 751 deputados dos 28 países do bloco. De acordo com as últimas pesquisas, a taxa de participação pode ser ainda menor do que os 43% de cinco anos atrás.





 
Congresso Nacional parabeniza Israel pelos seus 66 anos


Uma sessão solene no plenário da Câmara dos Deputados na quarta-feira (21/05), em Brasília, marcou os 66 anos de criação do Estado de Israel. Parlamentares de vários partidos, dentre eles PMDB, PSD, PV, PDT, PSB e PT do B, prestaram solidariedade ao Estado israelense. 

O embaixador Rafael Eldad, acompanhado do ministro Lior Ben Dor, dentre outros diplomatas, estiveram presentes na solenidade. A comunidade judaica e vários amigos de Israel também acompanharam o evento.




Autora do requerimento da sessão, a deputada Fátima Pelaes (PMDB-AP) destacou a importância do país para a civilização ocidental, referindo-se a Israel como o “milagre do século 21”. O deputado Mauro Benevides (PMDB-CE) presidiu o evento e citou as relações entre Brasil e Israel. O parlamentar lembrou que o país do Oriente Médio foi o primeiro parceiro extra-regional do Mercosul. 

Em discurso, o embaixador Rafael Eldad agradeceu a homenagem ao seu país e a todos os presentes, destacando a sessão solene como uma “clara demonstração da forte amizade que une o povo de Israel e do Brasil”. O diplomata afirmou que as relações entre os países vive um de seus melhores momentos, e finalizou desejando o hexacampeonato para a Seleção Brasileira na Copa do Mundo.

O talento da cantora israelense Noa Peled marcou o fim da homenagem na Câmara. Ela interpretou a música “Trem das Onze” em português e hebraico, numa demonstração de confraternização dos dois povos.







 
NO CAMINHO DA CURA DA DIABETES


Cientistas americanos e israelenses dizem ter usado a tecnologia da clonagem para produzir células-tronco embrionárias que carregam genes de uma mulher diabética, e os transformaram em células beta produtoras de insulina que podem um dia curar a sua doença.

A equipe relatou ter retirado um obstáculo importante na busca de fazer as células-tronco "personalizadas" para uso na terapia da doença, mas um bioeticista disse que a descoberta também destacou a necessidade de uma melhor regulação dos embriões cultivados em laboratório.







"Estamos agora um passo mais perto de ser capazes de tratar pacientes diabéticos com as suas próprias células produtoras de insulina", disse Dieter Egli da Fundação de Células-Tronco de New York (NYSCF), que liderou o estudo publicado na revista Nature.

Egli e uma equipe haviam transplantado os núcleos de células retiradas da pele da mulher em óvulos humanos, para criar células-tronco que poderiam, então, convencer a se tornar células beta - a falta do que causa deficiência de insulina e de alta de açúcar no sangue em diabéticos.

Ao fazê-lo, a equipe confirmou uma fonte potencialmente importante para a terapia de reposição de células no futuro.

Não foi o primeiro estudo da criação de células-tronco, desta forma, mas foi o primeiro a usar células provenientes de uma pessoa doente adulta com o objetivo de produzir células específicas da terapia.

Insoo Hyun, um bioeticista da escola da Case Western Reserve, da Universidade de Medicina em Cleveland, Ohio, disse que a pesquisa, a mais recente para produzir células-tronco embrionárias que carregam os genomas de pessoas que vivem, levantou bandeiras vermelhas.

"Repetimos clonagem de embriões e de geração de células-tronco, agora usando células coletadas de adultos, aumentando a probabilidade de que os embriões humanos sejam produzidos para gerar terapia para um indivíduo específico", ele escreveu em um comentário publicado pela Nature.

"As estruturas de regulamentação devem estar no local para fiscalizar isto."








Células-tronco embrionárias - células primitivas, neutras, que podem evoluir para a maioria das células do tecido especializado do corpo - são vistas como uma fonte potencial para reconstruir órgãos danificados por doenças ou acidentes.

Mas há controvérsias, como até muito recentemente as células-tronco só poderiam ser obtidas a partir de embriões humanos.

Elas podem ser cultivadas em laboratório por transferência do núcleo de uma célula a partir de tecido como o da pele, que contém o DNA de uma pessoa, em um ovo humano a partir do qual o núcleo foi removido.

Ao ovo é então dado um impulso elétrico para iniciar a divisão até formar um blastócito, um oco, da fase inicial do embrião constituído por cerca de 150 células com o DNA do doador do tecido celular.

Técnica conhecida como células somáticas de transferência nuclear (TNCS), a técnica é utilizada para a investigação terapêutica, mas é também o primeiro passo de clonagem, e foi utilizada para criar Dolly, a ovelha. 
Para o novo estudo, os cientistas dos Estados Unidos e de Israel disseram que fizeram "melhorias técnicas" - alterando os produtos químicos utilizados na cultura em que as células são cultivadas.

As células-tronco podem, por sua vez, ser persuadidas a tornarem-se vários tipos diferentes de células adultas - incluindo células beta, segundo a equipe.

"Vendo os resultados de hoje me dá esperança de que um dia terá uma cura para esta doença debilitante", disse a presidente-executiva do NYSCF, Susan Solomon.






O mesmo grupo, tinha anteriormente feito células beta com um método semelhante, mas utilizando os ovos com os seus núcleos ainda intactos - resultando em células estaminais com três conjuntos de cromossomas que não podem ser utilizadas em terapia.

Mas usando o método novo, melhor, as células-tronco surgiram com os normais dois conjuntos de cromossomos, a equipe escreveu.

Hyun disse que tal pesquisa poderia elevar os temores de um futuro em que os bebês humanos fossem clonados ou embriões insensivelmente criados e destruídos para a investigação, e pediu o reforço das estruturas de supervisão.

Mas Salomon disse que a pesquisa foi "estritamente para fins terapêuticos" e aderiu à supervisão ética rigorosa.

"Sob nenhuma circunstância nós ou qualquer outro grupo científico responsável tem qualquer intenção de utilizar esta técnica para a geração de seres humanos, nem seria possível", disse.

As células beta produzidas no estudo ainda não podem ser utilizadas na terapia de reposição, disse a equipe.





 
A visita da Missão Empresarial da Cambici a Israel


A Missão Empresarial a Israel, programa realizado pela Câmara Brasil Israel de Comércio e Indústria (Cambici) que aconteceu dos dias 14 a 18 de maio, foi encerrada com um saldo positivo. “Organizamos uma agenda intensa, com a qual pudemos cumprir com nosso objetivo: debater sobre caminhos para incrementar o relacionamento comercial entre Brasil e Israel, e apresentar a realidade e as inovações do país aos integrantes da missão”, afirmou Jayme Blay, presidente da Cambici. O grupo foi formado por Claudio e Fernando Lottenberg, presidente e secretário-geral da Confederação Israelita do Brasil (Conib); Nelson Wolosker e Sidney Klajner, respectivamente diretor e vice-presidente do Hospital Israelita Albert Einstein; o vereador Floriano Pesaro e Jaime Spitzcovsky, diretor de Relações Institucionais da  Conib.





O primeiro compromisso da agenda foi um encontro com Boaz Albaranes, o novo Cônsul para Assuntos Econômicos de Israel no Brasil, que iniciará suas atividades no mês de julho. Na oportunidade, ele expôs os objetivos de seu mandato e ouviu a opinião dos participantes a respeito da atual balança comercial. “Atualmente, ela é desfavorável para o Brasil, e é urgente encontrar caminhos para buscar o equilíbrio. Só assim o relacionamento entre os dois países se desenvolverá e passará a atender às expectativas do governo brasileiro. A Câmara certamente o apoiará nessa importante tarefa”, explicou Blay.





A missão encontrou-se também com Roy Geva, Chefe de Relações Internacionais para a Europa (Head of Developer Relation for Google Europe), e com Shlomo Nimrodi, CEO da Ramot, Companhia de Transferência de Tecnologia da Universidade de Tel Aviv, além de visitar o laboratório de Nanotecnologia dessa instituição. O objetivo foi apresentar aos integrantes os avanços tecnológicos propiciados por Israel e, também, expor os aspectos que beneficiam o rápido desenvolvimento tecnológico do país.





No dia 15, a Missão esteve presente no grande evento realizado pela Universidade de Tel Aviv (UTA) em homenagem ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que recebeu o título de “Doutor Honoris Causa”. “Essa indicação não teve nenhum cunho político – é puramente meritocrática. Ao lado de Shimon Peres, Nelson Mandela e Bill Clinton, FHC é um nome importante do cenário político da atualidade”, afirmou Claudio Lottenberg, que prestigiou o evento. Fernando Lottenberg apontou um outro aspecto importante da homenagem. “É um sinal claro de que Israel está aumentado sua atenção para com o Brasil, depois de décadas de foco apenas na Europa e nos Estados Unidos”. No dia seguinte, o grupo participou de um jantar de Shabat em Jerusalém com o ex-presidente, no qual também estiveram presentes representantes da TAU e da Conib.







 

DESTAQUES SOCIAIS E EVENTOS







Hebraica Rio vai se colorir de verde e amarelo nos dias de jogos do Brasil. O clube vai se preparar com um grande churrasco e telão nos dias dos jogos. A entrada terá o valor de R$50,00.

Além de curtir o jogo, os torcedores poderão participar de um sorteio de uma bicicleta em cada jogo.
Serviço: Jogos do Brasil 
Hebraica Rio – Rua das Laranjeiras – 346 ; Valor: R$50,00
Vagas Limitadas ; Inscrições pelo telefone: 2557-4455























Se você recebe o Notícias da Rua Judaica de amigos ou de terceiros, inscreva-se gratuitamente 
para receber semanalmente o nosso informativo, enviado diretamente para seu e-mail. 
Clique aqui e você estará inscrito

Se desejar indicar amigos para receberem este informe, 
clique aqui e lista os e-mails dos novos assinantes






 

COMUNICADO AOS LEITORES

A direção editorial da Rua judaica deseja esclarecer qe todas as opiniões ou juízo de valor, emitidas por seus colunistas ou colaboradores, são de exclusiva responsabilidade dos autores, não representando, necessariamente, a opinião editorial do veículo, de entidades a que pertençam os articulistas, nem às entidades ou países a que possam representar.


   



 

Jornalista Responsável: Osias Wurman - MT 14.707
Colaboradores Internacionais: Jerusalém - Daniela Kresch, Budapeste - Judith Klein, Miami - Fernando Bisker, Miami - Nelson Menda
Diagramação: MarketDesign