sexta-feira, 5 de abril de 2013

IEHOUAH - Iehouah יהוה : Compensação - Ralph Waldo Emerson - Alefi Iehouah


Atenção: Regras básicas iniciais: Chaver - Companheiro - na pronúncia inicial  tem no CH som de H Gultural, dizem que do tipo alemão, digo que a Alemanha herdou isso do Hebraico Ancestral, que não depende do proto-fenício, antes pari o mesmo, e encontra-se com o  Sânscrito e o Mandarim, como filhos mais próximos.'Ha' - artigo definido ''o'', ''a'' e algo mais -tem som de H Aspirado - Moto 'Honda' - comum na Europa e Norte-América, outra herança; lógico. Os sons terminados em d ou t não propriamente mudos. Sugestão? Acesse alguma leitura oral da Torah ou algo assim. Não perca tempo, vá para o www.chabad.org.br - além deles, o setor de ícones é altamente enriquecedor com links úteis e dinâmicos . Algo mais? www.cafetorah.com - seja criterioso e saiba que as opções não se reconhecem plenamente, aliás e Você no decorrer da sua vida com os Outros? .Não sou eles e eles não ''sou eu'', e ainda: não sou judeu, mas se fosse ou que talvez seja e não saiba: E DAÍ?
CONTINUAÇÃO DE 

''QUINTA-FEIRA, ABRIL 04, 2013


IEHOUAH - Iehouah: Compensação - Ralph Waldo Emerson - Alefi Iehouah''


Mais tarde esses desejos foram confirmados ao ouvir um sermão numa igreja. O pregador, um homem estimado por sua ortodoxia, revelou de maneira simples a doutrina do juízo final. Asseverou que este Juízo não é executado neste mundo; que os perversos são bem sucedidos; que os bons são infelizes; e então reclamou instância da razão e das Escrituras uma compensação a ser feita entre as duas partes na vida seguinte. Não pareceu que a congregação se tivesse sentido ofendida por essa doutrina. Quanto ao que pude observar quando a reunião acabou, as pessoas se dispersaram sem qualquer observação sobre o sermão.
Mesmo assim, qual era o significado desse ensinamento? O que quis dizer o pregador ao declarar que os bons são infelizes nesta vida? Que as casas, terras, escritórios, vinhos, roupas, luxo, são possuídos por gente sem princípios, ao passo que os santos são pobres e desprezados, doravante é preciso uma compensação para estes últimos, dando-lhes as mesmas gratificações num outro dia - letras, títulos e dobrões, carne de veado e champanha? Esta deve ser a compensação pretendida para o que mais? Será que eles devem ter permissão para rezar e louvar, para amar e servir aos homens? Ora, isso eles podem fazer agora. A conclusão legítima que um discípulo tiraria seria ''Deveríamos ter tantas horas agradáveis quanto os pecadores tem agora''; ou, levando a pouco; nós pecaríamos agora, se pudéssemos; não sendo bem sucedidos esperamos nossa desforra amanhã''.
A falácia reside em condescender ilimitadamente que os maus são bem-sucedidos; que a justiça não é feita agora. A cegueira do pregador consistia em se submeter á mesquinha avaliação do mercado acerca do que constitui o sucesso, em vez de enfrentar e convencer o mundo da verdade; anunciando a presença da Alma; a onipotência da Vontade; e assim estabelecendo o padrão do bem e do mal, do sucesso e da falsidade, e intimando os mortos ao tribunal do presente.
Encontro um tom mesquinho semelhante  nas obras religiosas populares de hoje em dia e as mesmas doutrinas assumidas pelos homens de letras ao tratarem ocasionalmente de assuntos afins. Penso que nossa teologia popular ganhou em decoro e não em princípios, sobre as superstições que substitui. Mas os homens são melhores do que esta teologia. Suas vidas cotidianas a acusam de mentir. Toda alma ingênua e ansiosa deixa a doutrina para trás pela própria experiência e os homens ás vezes sentem a falsidade que não podem demonstrar. Porque os homens são mais sábios do que pensam. O que escutam em escolas e púlpitos, sem uma reflexão posterior, se dito durante uma conversa seria provavelmente questionado em silêncio. Se um homem dogmatiza sobre a providência e as leis divinas num grupo variado, a resposta que obtém é um silêncio que transmite suficientemente bem para um observador a insatisfação dos ouvintes, bem como sua incapacidade de fazer sua própria afirmação.
Tentarei registrar alguns fatos que indicam o caminho da lei da Compensação; feliz além de minha expectativa se eu realmente conseguir esboçar o menor arco deste círculo. 
CONTINUA 
      
Cabe-me intervir neste ponto. É inglês - normal - tradução e edição da Record ''A Universidade do Sucesso'' da autoria de OG MANDINO - 1982. O discurso é do célebre e estimado Ralph Waldo Emerson pensador norte-americano do século 19. De pastor protestante a viajante peregrino de um caráter mental ainda além de nossa global raça humana.
As observações são comuns ao nosso cotidiano, ainda que encaradas pelo reverso da aplicação.
Fizeram de conta que criaram teologias da prosperidade ou igrejas de cristãos que progridem por serem de Jesus Cristo - geralmente mentes aderentes de um feitor de massas cansadas de pensar, ser e existir, retroalimentando uma cadeia de positivismo devorador, devastador, mascarado por um sentido embriagado e drogado de moralismo por conveniência do próprio banditismo, amiúde propondo substituir outras opções iguais ou ao fundo similares, porém já expostas ao caos e desintegração - fizeram de conta - e que faz de conta!;
Enfeita-se o cotidiano global com gritos de liberdade sexual, religiosa, populacional, social, quando de fato se usam tais opções para novos modelos de perseguição e estereotipação social. O suposto diferente arrecada votos, multiplica dólares, trava novas guerras e tenta encobrir a fumaça de uma decadência autoexterminadora. Uma raça humana suicida diz condenar suicidas quando o pratica em seus fantásticos cristãos, humanitários/humanistas, hetero/homosexualistas, muçulmanos, ateus, judeus e 'largados', intelectuais e revolucionários, estudantes e pacifistas e que mais? Extraterrestres, avatares, lunáticos, fanáticos - Senão pseudônimos das potencialidades mais triviais!
Ainda é tempo de ser e de se refazer. Parar e acelerar. Dormir e acordar. Repousar e despertar.
Quem pagará o preço?

Salmo 119:1
Ashre(i) temime(i) darech, haholechim betorat 

Iehouah יהוה.

Realizado é o íntegro caminhar, os que andam na Lei 

Iehouah   יהוה.

Meus filhos e filhas pessoas ás quais chamo por meu nome - Iehouah  יהוה - elas pagarão o preço, pois elas o tem pago e Eu Sou sua inesgotável fonte. Nunca dependerá de cavalos - máquinas -, espadas - armas -, força militar - uniões/massas -, pois onde estiver minha Consciência Superlativa ali predominarei e quando faltar dali demandarei. O mundo é Israel, sua casa - sua mente - é Yerushalaim/Jerusalém, o regente é minha Ação: Iehouah Salva - Yeshua/Jesus - . A lei é minha, Sou Eu; Lei Iehouah  יהוה - Torah Iehouah  יהוה. Repouse e Desperte. Me chame Que te respondo.